|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por


Plano de Aula do Filme Som da Rua - Crianças da Casa Grande | Documentário | De Roberto Berliner | 1997 | 3 min | RJ


Nessa Casa Grande tem muita gente pequena fazendo arte, utilizando da música como um refúgio depois de um dia cansativo de trabalho. As realidades se confrontam na roça e na metrópole. As crianças que vivem nos interiores do nosso país e que trabalham na lavoura têm seus direitos garantidos por meio do Estatuto da Criança e do Adolescente? Fica a questão para refletir com a turma, identificando no Vale do Cariri a forma especial com que as crianças têm acesso à cultura e educação.





Objetivos

Conscientizar sobre os direitos da criança e do adolescente, discutindo sobre o Estatuto.


Promover a pesquisa do repertório cultural dos pais dos alunos envolvidos.


Estimular a brincadeira.


Aproximar pais e filhos.



Situação Didática
Etapa 1:


O professor poderá explicar para os alunos o que é o Estatuto da Criança e do Adolescente, ressaltando a sua importância durante esses 25 anos de existência para isso sugerimos uma forma lúdica que pode ser por meio do gibi da Turma da Mônica, produzido pela editora Maurício de Souza, ou da música "Criança não trabalha" do grupo Palavra Cantada, com o vídeo nesse plano em anexo ou da forma que lhe for mais conveniente. (15 minutos) Etapa 2:


Exibição do Curta


Som da Rua - Crianças da Casa Grande


(3 minutos). Etapa 3:


Com a exibição do filme o professor poderá levantar quais são os direitos que os alunos identificam que as crianças do Vale do Cariri estão contempladas. Esses direitos serão escritos na lousa.


É interessante desenvolver um diálogo com os alunos pautando-se no quanto a cultura, a educação e o lazer são importantes para o desenvolvimento do ser humano. Por isso a atividade sugerida se desdobra na casa de cada aluno.


O professor irá entregar uma tarjeta (pedaço de papel pequeno) para cada aluno com a seguinte questão:


"Qual foi a sua brincadeira favorita quando era ainda um menino (a)?"


Essa questão faz refletir sobre a infância deles, a ideia é que se faça um levantamento de brincadeiras que os pais conhecem e que viveram durante a infância, o intuito dessa pesquisa é além de promover aproximação entre pais e filhos, resgatar a criança interior dentro deles, estimular a memória e instigar a emoção de recordar.


Obs: Pode ser que alguns pais não tenham lembranças boas das brincadeiras de infância, por isso a questão é bem livre, se esse for o caso, vale ressaltar a importância de compartilha-lo na próxima etapa da atividade.


(30 minutos ou mais) Etapa 4:

Com a entrega da tarjeta preenchida pelos pais, o professor poderá promover um "Caça a Infância" (espécie de caça ao tesouro). A ideia é esconder pela escola as tarjetas dos alunos e com algumas dicas de onde foram escondidas eles saírem a procura, quando uma brincadeira for encontrada, todos devem se reunir e praticá-la em grupo. Quando essa brincadeira terminar eles poderão ir atrás de outra e assim sucessivamente.


Essa atividade deverá, se possível, ser aberta a participação dos pais, que podem explicar uma ou outra brincadeira ou participar apenas brincando é interessante registrar esse momento em vídeo ou foto, se os pais não presenciarem fisicamente, esse material poderá ser entregue para retribuir em forma de agradecimento a contribuição deles para a atividade.


Avaliação:

O professor poderá avaliar solicitando um desenho que represente a brincadeira que eles trouxeram de casa (esse desenho também pode ser feito em parceria com os pais).


A avaliação pode ser de acordo com o desenvolvimento da criança durante a aula expositiva.



Comentários
Para saber mais:

Criança não trabalha" do Palavra Cantada


Vídeo sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente produzido pelo Centro Integrado de Aprendizagem em Rede da Universidade Federal de Goiás para os cursos de Especialização em Educação para a Diversidade e Cidadania e de Extensão Estatuto da criança e do adolescente:


Estatuto da Crianca e do Adolescente - UFG Referências bibliográficas:

ARIÈS, Phillipe. História social da criança e da família. Trad. De Dora Flaksman. 2. Ed. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora, 1981.


SOUZA, Maurício de. A Turma da Mônica em: O Estatuto da Criança e do Adolescente. Ed. Maurício de Sousa, São Paulo, 1993.


NERI, Marcelo. O tempo de Permanência na Escola e as Motivações dos Sem-Escola. FGV/IBRE, CPS, Rio de Janeiro, 2009.



Pedagogo Autor do Plano de Aula
Filipe Macedo


Formação: Ator, contador de histórias e educador - Cursando a Pós Graduação Lato Sensu "A Arte de Contar Histórias - abordagens poéticas, perfomáticas e literárias" pela Facon, graduado em Tecnologia de Produção Audiovisual pelo Centro Universitário Anhanguera, com formação Técnica em Artes Dramáticas pelo Senac, especializado em Libras (Língua Brasileira de Sinais) pelo Instituto Peniel .
Atividades Profissionais: Consultor pedagógico do Instituto Paramitas, Educador de Comunicação na Cepac Barueri (Associação para proteção de crianças e adolescentes), Mestre e Contador de Histórias na escola Lumiar SP, Orientador Socioeducativo no Programa Jovens Urbanos da Fundação Itaú Social, Educador de Teatro na Associação Eremim - Osasco SP, diretor da Companhia de Investigação Teatral Minha, Nossa.
Nível: Ensino Superior