|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 1055 { professores: 3 | usuários com coleções públicas: 0 }

Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes

Sugestão a partir de uma experiência


Plano de Aula do Filme Aquarela | Animação | De André Koogan Breitman, Andrés Lieban | 2003 | 5 min | RJ


Proposta: Uso do curta para sensibilização dos alunos, desenvolvendo-se, a partir de sua apreciação,
seqüências de atividades em projeto interdisciplinar, conforme descrito no relato a seguir.
1- HISTÓRICO: A EMEF Dona Chiquinha Rodrigues cumprindo a sua missão social, de Escola Pública de Qualidade - expressa no seu PPP - Projeto Político Pedagógico, renova o seu compromisso educacional com a comunidade, desenvolvendo uma proposta pedagógica contemporânea, inovadora, ousada e humanista, a partir da realização do Subprojeto Aquarela. Este Subprojeto temático-metodológico representa, ao mesmo tempo: o tema-macro e as principais diretrizes pedagógicas, em torno das quais ocorrerão as construções educacionais e culturais das 5ª séries (1º anos do ciclo II - Ensino Fundamental), que tem como meta o aprimoramento da qualidade de ensino.
Portanto os aspectos temático e metodológico deste projeto concorrem, paralelamente para o cumprimento da missão educacional da EMEF Dona Chiquinha Rodrigues, estabelecida no seu PPP - Projeto Político Pedagógico - Educar com Qualidade.
Fazem parte dessa longa etapa a construção de valores e atitudes que norteiam as relações interpessoais e intermediam o contato do aluno com o objeto de conhecimento. É imprescindível nesse processo, que valoriza o aprender contínuo e a integração constante entre aluno-aluno e aluno-professor, uma postura de trabalho que considera a Ética, Motivação, Participação, Responsabilidade, Valorização e Cooperação.
A escolha deste tema reafirma o compromisso da EMEF Dona Chiquinha Rodrigues com os princípios propostos no seu PPP, uma vez que esses valores são os principais eixos de nossa missão educacional.
No aspecto metodológico, o Subprojeto Aquarela propõe uma revisão e atualização constante do Projeto Político Pedagógico em função das experiências vivenciadas nas práticas pedagógicas com os projetos de trabalho interdisciplinares como foi durante a implementação desse subprojeto.
Acreditamos que educar o cidadão para o terceiro milênio, além de ser um desafio social sem precedentes, possa ser uma resposta aos paradoxos do nosso tempo. Educa-los com música e a partir dela desenvolver várias ações nos diversos componentes curriculares é uma prática educacional contemporânea, inovadora, ousada e transformadora, sendo esse um dos caminhos a ser trilhado pela comunidade da EMEF Dona Chiquinha Rodrigues em 2004, tendo como meta principal a construção desses valores, que são a expressão máxima do nosso PPP: Ética, Motivação, Participação, Responsabilidade, Valorização e Cooperação.





Situação Didática

2 - INTRODUÇÃO: A nossa opção pelo tema a partir da música Aquarela leva em conta que a música na aprendizagem, faz com que o nosso aluno desenvolvam a:

2.1 - OBSERVAÇÃO: A letra da música está pontuada pelas notas musicai:s, por um lado, e por outro lado, pelos conceitos fundamentais que cada verso, cada estrofe, cada frase traz. Levar as crianças a pontuarem estes momentos de significado ajuda-as a, mais adiante, pontuarem também as notas musicais que estarão aprendendo.

2.2 - CONCENTRAÇÃO: Lembrar uma letra de música de memória e cantá-la é um exercício de concentração. Se o professor agregar movimentos - pulo, roda, palma - estará exercitando ainda mais a concentração e mesmo a harmonia. A criança que tem dificuldade de concentração perderá o momento do movimento. O professor observador não criticará nem criará uma situação constrangedora para a criança no grupo, mas poderá orientar os pais ou conversar com a equipe pedagógica da escola para que a criança tenha o suporte necessário para evoluir no ponto onde está com dificuldade.O som da música e o ritmo podem ser definidos pelo piano. Na ausência do piano, também ajudam instrumentos como coco, reco-reco e, se não estiverem disponíveis, o professor poderá levar um gravador simples e uma fita com o som gravado. A música tem poder e não é a sua execução perfeita que mobiliza o ser humano, mas a sua harmonia, seu ritmo, seu som.

2.3 - COORDENAÇÃO MOTORA: Quando a criança canta a música de memória e exercita, pela mímica, a sinalização da imagem daquilo que canta, ela está treinando sua coordenação motora. Deve-se deixar que ela própria faça o movimento pois sua expressão é espontânea e a abertura ou fechamento que dá aos movimentos, a intensidade de sua expressão é uma forma individual sua, própria, que deve ser respeitada e estimulada, não exigindo movimentos treinadíssimos e totalmente harmonizados no grupo.

2.4 - APRENDIZADO DAS PALAVRAS: A memorização de letras cria uma condição agradável para a criança aprender palavras e expressões. Nesta música de TOQUINHO, várias palavras foram trabalhadas com mais atenção para que a criança compreenda o conceito e o fixe. Cantá-las novamente, em outro momento, já compreendendo o conceito, ajudará a desenvolver seu raciocínio abstrato imaginar as palavras, portanto, pode ajudar no aprendizado de matemática, por exemplo, que requer este raciocínio abstrato.

2.5 - MEMORIZAÇÃO E APRENDIZAGEM: A criança, quando faz a mímica, tem que pensar mais do que quando apenas fala. O professor deve fazer com que os próprios alunos desenvolvam os movimentos que irão, por mímica, simbolizar as palavras. Apenas memorizar, pode levar a uma emissão mecânica da palavra. Na mímica, a criança é levada a se concentrar e pensar sobre o que está fazendo. Normalmente, eles inventam os movimentos, o que exercita a criatividade. Aqui, uma sugestão: após verificar que as crianças, com facilidade cantam a música e sinalizam as palavras, com gestos, incentive-as a usar ainda mais a criatividade e inventarem uma letra para aquela mesma música. É delicioso ouvir os novos versos, as novas rimas e as engraçadas combinações que criam.Este exercício pode ser extremamente interessante se feito em pequenos grupos ou em duplas, para ajudar na desinibição da criança.
Vamos, então, cantar? Cantemos juntos.

3 - ÁREAS DE ABRANGÊNCIA: Língua Portuguesa, Matemática, Educação Artística, Ciências, Geografia, Sala de Leitura, Laboratório de Informática Educativa e Educação Física.

4 - TEMPO PREVISTO: Durante o mês de março de 2004, tendo sido encerrado no dia 26 deste mês, com a apresentação dos trabalhos selecionados para as demais classes do período da manhã. Foi sugerido que algumas produções fossem lidas para os alunos da tarde, durante as atividades da Sala de Leitura.

5 - PROFESSORES PARTICIPANTES: Neusa, Miriam, Yaraly, Navegantes, Christina, Vinicius, Silvia, Rose e Marisa e os demais Professores do Horário Coletivo do Grupo I: Luzenário, Meire, Yumi, Maristela, Genísia, Odimar, Déborah, Luiz Antônio, Olga sob a orientação da Coordenadora Pedagógica, Profª Andréia.

6 - PÚBLICO ALVO: Alunos e alunas das 5ª séries A, B, C e D do Período da Manhã.

7 - JUSTIFICATIVA: A música tem o poder de alcançar a alma humana. Sua universalidade e capacidade de sensibilização são o que justifica este projeto, notadamente interdisciplinar e que com o esforço e dedicação de cada um dos Professores envolvidos, foi possível adequá-la aos vários componentes curriculares visando abordar todos os aspectos da música, mergulhando em sua história e passando por todos os vieses, finalizando com o mais perfeito e emocionante de todos instrumentos: a voz humana, que encerrou esse subprojeto, através de um coral formado por todos os alunos das classes diretamente envolvidas. Ademais, tendo consciência de que saber se expressar é condição básica para se tornar um cidadão, e que uma das funções da escola é formar cidadãos, resolvemos usar essa metodologia que ajuda o aluno a ter maior concentração e autoconfiança: a música, e por meio dessa atividade desenvolver o raciocínio, a sensibilidade rítmica e auditiva do aluno, tornando-o mais receptivo a outras áreas do saber e mais sociável na interação com o ser humano.
8 - OBJETIVOS: Permitir ao aluno que construa novos significados sobre os conteúdos de aprendizagem sempre intermediados por uma posição ética. Oportunizar reflexões e/ou discussões sobre o papel de cada educando no seu contexto social. Elaborar e digitar textos, inserido figuras sobre o tema abordado ou estudado. Proporcionar momentos reflexivos, estimulando-os a perceber o valor e a capacidade que possuem. Vivenciar, na prática, os valores expressos no nosso PPP.

9 - DESENVOLVIMENTO: Cada Professor escolheu livremente a melhor maneira de desenvolver o seu conteúdo programático, relacionando-os com a letra da música.

9.1 - LÍNGUA PORTUGUESA: Interpretação da música Aquarela (Toquinho e Vinícius de Moraes) e a formação de um coral, que se apresentará no Encerramento desse Subprojeto. Escolha pela classe da palavra-chave "Imaginação". Discussão a respeito da Imaginação (significado, importância) primeiramente, as duplas, depois no geral
Elaboração dos textos (livre: prosa ou poesia)
Leitura dos textos, escolha para apresentação
Ensaio para apresentação do texto escolhido - Imaginação, com letra de Maicon Rodrigues de G. França e Wagner Lima de Souza, com a participação de outros alunos da classe.

9.2 - MATEMÁTICA: Introdução das noções básicas da Geometria: Utilização de instrumentos de medição: régua, esquadro e compasso. Conceitos geométricos: Ponto, Segmento, Semi-reta e Reta.

9.3 - CIÊNCIAS: Leitura e debate sobre a música Aquarela. A conclusão dessa aula foi sobre a liberdade, os sonhos, as palavras que permitem transpor os obstáculos e simplesmente imaginar que tudo é possível.
Destacar da música, todas as palavras que, direta ou indiretamente, estejam relacionados com a disciplina ciências, procurando seu significado nos livros especializados ou dicionário.
Após a pesquisa escrever uma história, utilizando as palavras destacadas.
Apresentação das histórias para a classe.
Análise de cada história, dando ênfase à comunicação, ao raciocínio lógico, a criatividade e a concordâncias verbal e escrita.
Escolher a melhor história, reeescrevê-la com as correções e deixá-la exposta na sala de aula.

9.4 - GEOGRAFIA: Foram trabalhadas as localizações geográficas, das cidades/estados que aparecem na música: Havaí, Pequim e Istambul. Foram feitas também a localização das coordenadas geográficas e estudados os fusos horários.

9.5 - EDUCAÇÃO ARTÍSTICA: Esse subprojeto teve desde o início a preocupação de não ficar fechado em "si mesmo". No trabalho de Artes, ficaram visíveis as mudanças positivas ocorridas nos alunos. É possível perceber que foram criadas estratégias para que os alunos pudessem perceber a arte. Nessas estratégias foram utilizados jogos, como por exemplo, com um traço forma-se, geometricamente uma linha e com algumas linhas formam-se diversas figuras geométricas, introduzindo-se assim noções básicas da Geometria e do Desenho Geométrico. Foi trabalhada a voz, o estudo das ondas sonoras, tendo como objetivo desenvolver uma consciência reflexiva através da Arte.

9.6 - EDUCAÇÃO FÍSICA: Performance através da expressão corporal, ao som da música Aquarela com vários alunos das diversas 5ª séries.

9.7 - SALA DE LEITURA: Audição e análise da letra de música de "Aquarela", em comparação com outras letras de músicas da MPB que tematizam imaginação e valores de vida, tais como "Azul da Cor do Mar" e "Brincar de Viver". Produção de trabalhos artísticos a partir dessas canções.

9.8 - LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA EDUCATIVA: Pesquisa na Internet sobre a biografia do autor. Ilustrações da música Aquarela no Paint. Avaliações do trabalho interdisciplinar desenvolvido em sala de aula pelo demais Professores.
10 - RECURSOS: Foram utilizados cd, aparelho de som, letra da música, material para produção das ilustrações, computador e data-show.

11 - MATERIAIS PRODUZIDOS: Textos escritos, desenhos e ilustrações e uma apresentação em Power-Point, gravada em CD dessas produções, organizada pelo Profº Vinicius. Toda a apresentação foi filmada e será editado um vídeo.

Comentários

12 - AVALIAÇÃO: A avaliação foi constante, isto é, durante a execução de cada atividade desenvolvida pelos alunos e a criatividade na apresentação final desse Subprojeto. Haverá o registro das apreciações dos alunos que assistiram a finalização e farão parte deste relatório.

13 - RESULTADOS OBTIDOS: Durante este período foram observadas as seguintes mudanças comportamentais:
Manifestação de expressões de alegria, contentamento e satisfação ao executar as atividades (bater palmas, risos, gritos, levantar do lugar para se o outro já conseguiu)
Freqüência assídua dos alunos à Escola
Desenvolvimento da cooperatividade, afetividade e valorização nas atividades
Desenvolvimento do pensamento criativo e da capacidade intelectual (leitura e escrita).

"A música na educação envolve todas as áreas do conhecimento. Por isso é utilizada de forma contextualizada, no ensino em classes de alfabetização e letramento, facilitando o processo ensino - aprendizagem. Ensinar é apreciar o valor de uma peça musical, despertando na criança o gosto pela música, aquisição de novos conhecimentos, concentração, autonomia, criticidade, sendo um importante instrumento didático no processo de alfabetização e letramento".
Sonia Kramer


14 - ROTEIRO DE ENCERRAMENTO DO SUBPROJETO AQUARELA
DATA: Sexta-feira, 26 de março de 2004.
LOCAL: Pátio da Escola.
INÍCIO: 9h 50 mim.
TÉRMINO: 11h 30 mim.

Todos os alunos do Período da Manhã, às 9h 50 mim, descerão, organizadamente, para o Pátio da Escola, ao som da música Aquarela. As primeiras classes a descerem serão as 5ª séries e em seguida as demais, em ordem crescente e se acomodaram no Pátio para assistirem a apresentação.

Todos os Professores da 5ª aula e 6ª aula ajudarão a organizar a presença de todos os alunos na acomodação no Pátio da Escola.

HÓRÁRIO EVENTO RESPONSÁVEIS

10:00 - 10:05 Abertura Dona Célia - Diretora

10:05 - 10:15 A importância do Evento Andréia - CP

10:15 - 10:25 Apresentação no Power Point Vinicius

10:25 - 10:30 Geografia na música Aquarela Navegantes/Nádia da 5 A

10:30 - 10:35 Imaginação Neusa/ Maicon, Wagner e alunos
da 5A

10:35 - 10:40 A astronave Christina/Roger da 5D

10:40 - 10:45 Sonho meu Christina/Rafaela da 5D

10:45 - 10:50 O sonho de Phil Christina/Felipe da 5C

10:50 - 10:55 As bruxas da cidade Natal Christina/Mayara da 5B

10:55 - 11:00 Matemática na música Aquarela Silvia/ Roger da 5D

11:00 - 11:05 Performance Rose/todas as 5 séries

11:05 - 11:15 Jogral - Aquarela Miriam, Neusa/todas as 5 séries

11:15 - 11:30 Encerramento/Agradecimentos Andréia (CP) e Dona Célia.



15 - PRODUÇÕES ESCRITAS E QUE FORAM APRESENTADAS PELOS ALUNOS:

Autor: Mayara Pimenta Série: 5º B Data:16/03/04

Título: As Bruxas da Cidade Natal

Essa história aconteceu a milhares de anos atrás, quando a magia era infinita e as bruxas voavam no céu, por cima do mar, em volta do sol e perto das nuvens.
Uma mulher que achava que as bruxas eram uma grande ameaça para o seu povo, reuniu as outras mulheres para matar todas as bruxas que existiam naquela cidade.
Mas uma jovem bruxa ouviu e foi avisar as outras, mas como ela era jovem demais, as mais velhas não acreditaram.
Então, ela fez uma astronave para ir para o espaço e só voltar quando estivesse tudo melhor e quando esquecessem de uma vez as bruxas.
Depois de três mil anos, ela voltou, mas o mundo tinha mudado. Antes era só natureza, agora tinha poluição e violência.
Ela foi para a sua cidade natal e viu uma gaivota. Essa gaivota foi até ela e falou:
Você tinha razão!
Quem é você? Disse a jovem bruxinha.
De uma ora para outra, a asa da gaivota foi se transformando em uma mão e o corpo da gaivota ficou humano.
Assim que você foi embora, começou a chover raios e trovões, e os aldeões lutaram com as bruxas ! E muitas vidas foram sacrificadas, a maioria de bruxas.
Como você fugiu?
Que pergunta! Me transformei em água.
Ainda existem bruxas além de nós? Perguntou a jovem.
Há sim, mas elas estão escondidas para não morrerem.
Depois de alguns anos, as bruxas e os humanos fecharam um acordo onde os dois teriam seu próprio território.


<<<<<<<<>>>>


Autor Rafaela Nunes Teles Barbosa Série: 5ºD Data: 18/03/04


Título: Sonho meu

Um dia Rose chamou seu namorado Rodrigo e eles foram ver o por do sol. Eles viram uma gaivota voando no céu.
As nuvens começaram a se fechar e de repente começou a chover.
Rose ficou com medo ao ver as ondas do mar aumentar. Parecia que o mundo ia se acabar.
Começou a ventar muito forte e a Rose machucou sua mão com alguma coisa que veio do chão.
Refugiram-se numa choupana e começaram a lembrar dos seus tempos de criança, quando se podia imaginar que podia ser o que quiser, de secretária a astronauta, de viajar pelo espaço, de ver Plutão e Netuno. Bem de perto, de dentro de uma astronave e poder conhecer o Universo.


<<<<<<<<>>>>


Autor: Philipe Alves Silva Série: 5 ºC Data: 17/03/04

Título: O Sonho de Phil

Era uma vez um garoto que se chamava Phil e morava numa pequena cidade do interior.
Phil tinha um sonho, entrar dentro de uma astronave e conhecer o espaço.
Seu pai, sábio de seu sonho, pois o garoto recortava de jornais e revistas, todas as notícias das viagens espaciais.
Certo dia, seu pai resolveu escrever uma carta para a Nasa, pedindo para eles realizarem o sonho de seu filho.
E, tão grande foi a surpresa ao receber a resposta, dizendo que o sonho de seu filho Phil seria realizado.
No dia marcado, Phil chegou cedo para embarcar numa astronave. Assim que foi lançado ao espaço, Phil não podia conter sua felicidade e assim que pode olhar pelo vidro, pode ver as nuvens, as gaivotas que voavam em bando, pode ver o sol lá de cima. Ele viu o mar.
Na volta a Terra, ele sentiu medo pois o céu estava escuro pois começou a chover, mas os tripulantes da astronave disseram a ele que não sentisse medo pois já estavam acostumados.
Assim que pousou, Phil pegou a mão de seu pai e disse:
-Lá de cima eu pude ver o mundo todo sorridente por ter realizado meu sonho

<<<<<<<<>>>>


Autor: Roger Rodrigues de Oliveira Série: 5º D Data: 18/03/04

Título: A Astronave

Era uma vez uma astronave que iria ser lançado no dia 25/05/2500.
Quando esse dia chegou, a astronave estava com um tripulante a menos. Finalmente chegou a hora dela ser lançada.
O controlador de vôo começou a contagem: 10,9,8,7,6,5,4,3,2,1, lançar.
Era incrível, como somente com as mãos era possível mover um veículo tão grande. Mesmo com chuva, aves como as gaivotas, as nuvens, era como velejar no mar calmo.
A tecnologia era tão grande que dava para passar em média a uns 30, 40 metros do sol. De lá do espaço, o máximo que se podia ver olhando o céu aqui da Terra era uma mancha azul.
Era como se o mundo coubesse na sua mão, até que um tripulante falou:
-É como se o mundo fosse composto por letras e essa astronave, aqui onde nós estamos, fosse o ponto acima do i.


>>>>>>>>>FIM>>>>>>>



Autores: Maicon Rodrigues de G.França e Wagner Lima de Souza Classe: 5 A

Data: 22/03/2004

Título: Imaginação

A imaginação tem que fluir
Para alegria na vida, adquirir.
Imaginar, dançar, cantar, sorrir, brincar
Tem que imaginar....(bis)

Para vida feliz ficar
Melhor para brincar imaginar
Imaginar, para sempre feliz ficar
Imaginar, imaginar, feliz ficar, feliz ficar (bis)
A vida é uma poesia na qual temos que imaginar.

<<<<<<<<>>
16 - APRECIAÇÃO DOS ALUNOS E ALUNAS PRESENTES À FINALIZAÇÃO DO
Subprojeto
AQUARELA

DATA: 30 de março de 2004. HORÁRIO: 5ª aula

CLASSE: 5A PROFESSOR: Jesulina/Christina

I - Copiar na lousa, o seguinte roteiro para apreciação dos alunos:

1- Qual é sua nota para a apresentação final, em 26/03/04, do Subprojeto Aquarela?


P S NS
2- O que você mais gostou?
3- O que você não gostou?
4- Dê a sua sugestão para próximos eventos da Escola.

II - Após todos os alunos copiarem e responderem as questões acima, o Professor presente, deverá preencher, com a ajuda dos alunos as seguintes informações:

1- Estavam presentes na sala de aula n alunos que avaliaram o evento da seguinte maneira:

x deram P y deu S 0 deram NS

2- O que os alunos mais gostaram foram:

3- O que os alunos menos gostaram foram: 4- Os alunos fizeram as seguintes sugestões para o próximo evento:

17 - COMENTÁRIOS FINAIS DA APRECIAÇÃO:

A pesquisa foi realizada em 30 de março de 2004, junto à maioria dos alunos do turno da manhã. Somente em duas classes, por motivos alheios, não foi feita a coleta desses dados. Essas classes foram a 6ªC e 8ªC, sendo que na última a Professora Responsável - Genísia - alegou que tinha prova nesse dia e horário. Também não foram totalmente tabuladas apenas duas classes: 6ªA e 7ªC, sendo que a Professora Responsável pela 6ªA, Maria Ângela, justificou que não deu tempo. Entretanto, ela deixou à disposição, junto à Coordenadora Pedagógica, esses dados.
Foram analisados os dados relativos a 230 alunos, tendo sido atribuídos:
9 NS, 53 S e 168 P
O que significou 96% de APROVAÇÃO!!!!!!
Quanto à 2ª questão, a maioria dos alunos, gostaram da apresentação das ilustrações, cuidadosamente preparadas em Power-Point, pelo Professor Vinícius e em seguida do Coral.
Quanto à 3ª questão, as respostas foram muito diversificadas. Houve queixas quanto ao fato deles terem que ficarem sentados no chão, pequenas falhas nas apresentações dos alunos, a questão do som que incomodou quem estava no final da fila, queixa essa devidamente registrada pelos alunos das 8ª séries.
Ficou evidente que os acertos foram muito mais significativos que os erros apontados, fato esse já expressos, notavelmente nas menções que os alunos atribuíram ao evento.
Finalmente, quanto às sugestões apresentadas pelos alunos, propomos que devam fazer parte de uma reflexão cuidadosa pelo Grupo, dada a riqueza dos temas sugeridos.

19 - BIOGRAFIA DE TOQUINHO:
Disponível no site: http://www.tabledit.hpg.ig.com.br/biografia_toquinho.htm