|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 65 { professores: 1 | usuários com coleções públicas: 0 }

Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.

Semeando o Futuro


Plano de Aula do Filme Clandestina Felicidade | Ficção | De Beto Normal, Marcelo Gomes | 1998 | 15 min | PE


O prazer pela leitura em muitos momentos não é descoberto com facilidade entre os jovens, tarefa que por "obrigação" garantem essa atividade, muitas vezes os deixam frustrados e alguns não voltam a se aventurar no mundo dos livros, desperdiçando conhecimento e informação.

A partir da obra de Clarice Lispector utilizaremos as "ferramentas" necessárias para escavar uma terra fértil no coração de cada jovem que participará da atividade, com o intuito de plantar e fazer crescer uma semente, diferente de muitas outras, mas tão necessária como alimento para a alma.





Objetivos

Incentivo à leitura entre os jovens.

Praticar a caridade em uma ação voluntária.

Aumentar o repertório de histórias dos jovens participantes.

Integração da turma.


Situação Didática

Etapa 1:

Exibição do Curta "Clandestina Felicidade"

Antes de discutir sobre o filme e solicitar as impressões dos participantes, o professor poderá propor uma leitura coletiva do conto "Felicidade Clandestina" de Clarice Lispector. (Também é possível ouvir o conto pela internet, para os casos de alunos que necessitem de acessibilidade).

Discutir sobre a trajetória de Clarice no curta e texto.

Questionar os alunos qual é o livro que eles mais gostaram de ler até o momento, fazendo um paralelo com a história, isso contribuirá para ter um parâmetro de como os alunos lidam com a questão da leitura, é importante que o professor nessa etapa conte sobre seu livro preferido, para que possa se tornar uma referência aos estudantes.

(30 minutos)



Etapa 2:

É interessante explanar sobre a importância da leitura desde o início da vida, inclusive na primeira infância, como forma de incentivar uma nova geração de leitores.

O professor deverá então escolher um conto ou crônica de sua preferência para compartilhar com os alunos.

Após a leitura, poderá solicitar que os alunos escolham (na biblioteca se houver, ou em casa) um livro infanto-juvenil que os agrade de alguma forma, seja pela ilustração ou pela história.

Depois da escolha, a orientação é que eles leiam o livro e absorvam o máximo de informações possíveis.

(50 minutos)



Etapa 3:

Relembrando a vontade que Clarice tinha de ler o livro "As Reinações de Narizinho" o professor poderá sugerir uma atividade externa com a turma, instigando-os a serem também referência para as crianças que estão na primeira infância.

A ideia é fazer com que os jovens visitem uma creche do bairro para fazer uma mediação de leitura para as crianças.

É importante que anteriormente o professor consiga autorização com a gestão da creche e explique o projeto.

Para a mediação os alunos poderão estar em duplas e deverão levar os livros escolhidos.

Algumas dicas importantes para essa atividade são: as histórias precisam ser curtas ilustrações são bem vindas livros em diferentes formatos para cada dupla no máximo 10 crianças que participarão da atividade, para que todas possam ser contempladas com a ação, a gestão poderá dividir a quantidade de crianças pelas duplas de voluntários, cada um poderá contar mais de uma história se for o caso é importante que a creche disponibilize um local tranquilo para a atividade, sem qualquer interferência de som ou condições climáticas.

O professor poderá dar autonomia para que os alunos organizem a ação, desde a escolha do repertório, o nome para o projeto, quanto a logística de chegada e saída do local para a mediação. Sempre estando atento a ação e disponível para ajudar e esclarecer dúvidas.

Essa atividade irá aproximar a essência criativa dos alunos da ingenuidade das crianças, que nesse período estão sedentas por momentos diferentes e absorvem muitas informações, isso será uma guinada no plano de aula da instituição, pois a partir desse momento, em um constante movimente o professor poderá incentivar que o projeto continue e que os próprios alunos aumentem seu repertório de histórias. Começando inclusive pelos livros infantis que são o melhor início para o universo da leitura.

(50 minutos)




Comentários

Para saber mais:

Análise Literária - Gazeta do Povo

Panorama com Clarice Lispector

Felicidade Clandestina


Avaliação:

O professor poderá exibir a entrevista de Clarice Lispector para o programa Panorama da Tv Cultura e discutir com os alunos sobre a função de um escritor.

A avaliação da ação poderá ser feita através da montagem de um livro produzido pelos alunos, o título poderá ser o nome do projeto e a produção em grupos com a organização das histórias contadas na mediação de leitura cada livro poderá ter mais que duas duplas, para o trabalho ser bem dividido.

Os critérios poderão ser estabelecidos pelo professor e poderão contar com a avaliação de alguns itens, como: ilustrações, montagem, texto etc.


Referências bibliográficas:

Lispector, Clarice - Felicidade Clandestina. Rio de Janeiro, Editora Rocco, 1998.