|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

O surgimento do Choro


Plano de Aula do Filme Chorinhos e Chorões | Documentário | De Antônio Carlos da Fontoura | 1974 | 11 min | RJ


O curta "Chorinhos e Chorões" retrata, através de registros fotográficos e musicais, o surgimento do gênero musical Choro, derivado dos conjuntos musicais populares intitulados regionais. Retrata o final do século XIX no Rio de Janeiro, quando e onde o choro se popularizou, sendo tocado em bailes por conjuntos constituídos por flauta, clarineta, violão e cavaquinho, junto com polcas, maxixes, mazurcas e lundus com características cada vez mais brasileiras.


Entre os compositores populares desse gênero destacam-se: Joaquim Antônio da Silva Calado, Ernesto Nazareth, Pixinguinha, Chiquinha Gonzaga e Eduardo Souto.


Choro ou Chorinho? "O nome do gênero é Choro, mas popularmente é chamado de Chorinho. Muitos chorões, ou mesmo apreciadores do gênero, não gostam desta última denominação, alegando que não se chama samba de "sambinha" ou jazz de "jazzinho". Outros consideram o chorinho como um aspecto do choro ou o ambiente proporcionado pelo gênero" (wikipedia, veja link abaixo).


O tema das canções dos "chorinhos" com letras é a "súplica amorosa": regularmente a poesia é dirigida à amada e o cantor/compositor lembra a época em que se conheceram, as juras de amor eterno, as promessas vãs e o amor impossível.


No plano da linguagem a letra possui versos que contrastam singeleza e erudição, ou seja, ao mesmo tempo em que trata de temas cotidianos de amor, retrata uma intenção de elevar a linguagem num excesso romântico que encanta a audição pela simplicidade e brejeirice. A letra, entoada dolentemente, revela sentimentos de saudades revestidos por suspiros.





Objetivos


Que as crianças e jovens entrem em contato com a linguagem poética e musical do gênero Choro



Que as perceba (poesia e música) como uma forma diferente de utilizar a linguagem romântica



Que sejam capazes de assumirem o papel de manifestantes do gênero através da pantomima*, antecipada pela pesquisa que os acessará ao conhecimento necessário à transmissão de seus saberes sobre o Choro (veja link da wikipédia sobre pantomima).


Situação Didática

Fases do Trabalho:

1. Apresentação do curta "Chorinhos e Chorões"

2. Fruição: Audição das músicas: "Flor amorosa" e "Carinhoso"

3. Debate sobre quais são os "sentimentos" frente ao amor e à mulher, nestas composições

4. Composição cênica de uma pantomima musical, em que os alunos possam transmitir o que aprenderam ao mesmo tempo em que dão a conhecer o gênero musical Choro através de uma dublagem das músicas ouvidas

5. Extrapolação: pode-se extrapolar o tema Choro fazendo comparações musicais acerca do tema "Amor e mulher", refletindo sobre como se portava o cavalheiro frente sua amada dama nas diferentes décadas, desde o fim do século XIX e início do século XX até nossos dias - século XXI (veja link referente a DALL'ORTO).


Orientações Didáticas:

Pode-se introduzir a discussão musical com crianças e jovens a partir da audição de diversas músicas do gênero posto que seu conhecimento deste, geralmente, é restrito. As atividades de escuta precisam ser organizadas e supervisionadas, para que sejam proveitosas. Como se trata de material de época, a audição pode se dar através da Internet, seguindo as etapas abaixo:



Pedir que os participantes concentrem-se apenas em ouvir a música



Falar acerca da época em que a música foi produzida e sobre seus compositores/cantores



Discutir os sentimentos que a música lhes provoca e qual a ligação dela com o conceito de amor e de mulher refletidos à época



Incentivar a audição da obra toda por várias vezes. Num primeiro momento, dirigindo a atenção dos participantes para os instrumentos tocados e, num segundo momento, para as emoções provocadas pela audição.


Comentários

Fontes e Sugestões para consulta:

AGUIAR, Joaquim. A poesia da canção. 2ª ed. São Paulo: Scipione, 1996.

DALL'ORTO, Cecília Penha. Música Funk: imagens e construção de sentido - Evolução Poética. Disponível em:

http://artigocientifico.com.br/uploads/artc_1152734623_76.doc

Wikipedia: http://pt.wikipedia.org/wiki/Choro#Hist.C3.B3ria_do_Choro

________ . http://pt.wikipedia.org/wiki/Pantomima


Anexo 1- Flor amorosa (polca, choro, 1880)

Música de Joaquim Antônio da Silva Calado e letra de Catulo da Paixão Cearense

Flor amorosa, compassiva, sensitiva, oh! Vem, porque

Oh, uma rosa orgulhosa, presunçosa, tão vaidosa

Pois olha a rosa tem prazer em ser beijada, é flor, é flor

Oh, dei-te um beijo, mas perdoa, foi à toa, meu amor

Em uma taça perfumada de coral

Um beijo dar não vejo mal

É um sinal de que por ti me apaixonei

Talvez em sonhos foi que te beijei

Se tu puderes extirpar dos lábios meus

Um beijo teu tira-o por Deus

Vê se me arrancas esse odor de resedá

Sangra-me a boca, é um favor, vem cá


Não deves mais fazer questão

Já pedi, queres mais, toma o coração

Ah, tem dó dos meus ais, perdão

Sim ou não, sim ou não

Olha que eu estou ajoelhado

A te beijar, a te oscular os pés

Sob os teus, sob os teus olhos tão cruéis

Se tu não me quiseres perdoar

Beijo algum em mais ninguém eu hei de dar


Se ontem beijavas um jasmim do teu jardim

A mim, a mim

Oh, por que juras mil torturas

Mil agruras, por que juras?

Meu coração delito algum por te beijar não vê, não vê

Só por um beijo, um gracejo, tanto pejo

Mas por quê?

Fonte: Cifra Antiga: http://cifrantiga3.blogspot.com/2006/03/flor-amorosa.html


Anexo 2 - Carinhoso (samba-choro, 1937)

Pixinguinha e João de Barro

Meu coração

Não sei porquê

Bate feliz, quando te vê

E os meus olhos ficam sorrindo

E pelas ruas vão te seguindo

Mas mesmo assim, foges de mim

Ah! Se tu soubesses

Como sou tão carinhoso

E muito e muito que te quero

E como é sincero o meu amor

Eu sei que tu não fugirias mais de mim


Vem, vem, vem, vem

Vem sentir o calor

Dos lábios meus

À procura dos teus

Vem matar esta paixão

Que me devora o coração

E só assim então

Serei feliz, bem feliz

Fonte: http://cifrantiga3.blogspot.com/2006/03/carinhoso.html