|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

A Feira nossa de cada dia!


Plano de Aula do Filme Feira Livre | Documentário | De Isaac Chueke | 2003 | 18 min | RJ


Em um mundo globalizado e cheio de atrativos tecnológicos para os jovens e adolescentes a tarefa de ir a uma feira livre pode se tornar uma obrigação chata ou desinteressante. Porém, pensando um pouco na diversidade que existe na feira e no que podemos usufruir de conhecimento com as pessoas que ali trabalham, podemos identificar um vasto repertório de costumes regionais, diferentes sotaques e referências de vida, ótimo pretexto este para desenvolver uma atividade de pesquisa e ampliar o olhar dos alunos.





Objetivos

Discutir sobre a Diversidade Cultural do Brasil, para estimular o pertencimento a sua região.

Desenvolver a comunicação oral através da roda de conversa, pesquisa e debates.

Estimular a criatividade e o poder de síntese dos alunos.

Aproximar os alunos da cultura popular de sua região, aumentando seu repertório cultural, explorando a linguagem formal e informal, utilizando-se das funções de metalinguagem para uma discussão em sala sobre o tema.


Situação Didática

Etapa 1: (50 minutos)

Introdução a partir de uma conversa com os alunos sobre a diversidade cultural do Brasil, as raízes de suas famílias.

Exibição do filme.

Discussão sobre o que os alunos conhecem da feira livre, pensar sobre os feirantes que aparecem no filme e comentar sobre a realidade dessas pessoas, podendo fazer um paralelo a produção agrícola no Brasil, o que eles conhecem sobre o tema e como as condições climáticas e econômicas influenciam na produção.

Sugestões de questões a serem levantadas:

Quais são as suas origens das personagens do filme?

A origem influencia na escolha do produto?

Existe no grupo alguém que conhece uma comida ou legume, vegetal típico diferente das habituais?

Como é a forma ideal para vender um produto?

As condições do tempo podem influenciar no preço dos alimentos na feira?

O que entendemos sobre a produção agrícola no Brasil?

Conversar com os alunos sobre o que podemos encontrar quando vamos a uma feira livre explanar sobre as personagens do filme e as suas vivências dentro do contexto apresentado pelo curta, sua forma de falar e agir, e posterior a discussão, pedir que os alunos façam uma lista de itens que são vendidos em uma feira e que eles conheçam. Depois, fica como sugestão escutar atentamente duas canções que retratam feiras em locais distintos, uma delas do grande Luiz Gonzaga "A Feira de Caruaru" e "Senzala, Feira da Ceilândia" da compositora Ellen Oléria. Após a escuta ativa dessas canções, os alunos deverão identificar nessa lista os produtos que são tradicionais de sua região, para compor o que seria típico de cada lugar e criarem barracas para uma feira própria, incentivando a criatividade e integração com a cultura popular.
 

Posterior a discussão, pedir para que os alunos formem grupos e listem os produtos que eles conheçam ou imaginam ter na feira livre da sua região, quais desses produtos são típicos e que não estão em outras feiras espalhadas pelo Brasil.

Etapa 2: (50 minutos)

Definir com os grupos apenas um item da lista elaborada que possam trabalhar em uma propaganda na feira livre (eles também podem inventar um item, se preferirem) cada grupo deverá ter o seu item, e trabalhar na divulgação. Eles tentarão vender esse produto em uma feira (que pode ser elaborada em sala de aula com mesas e cadeiras), vale usar toda criatividade para elaborar os cartazes, jargões e estilos de promoções para atrair os fregueses. As barracas improvisadas também poderão ser enfeitadas. Fica como sugestão a participação de outras pessoas da escola, para um possível evento entre salas.

Podemos propor que nesses cartazes, as propagandas dos produtos típicos tenham uma identidade visual para chamar a atenção dos fregueses, essa atividade poderá se desdobrar em um concurso do melhor cartaz, ou inclusive, do produto mais inusitado.

Etapa 3: (30 minutos)

O professor poderá para concluir a atividade declamar o poema "Depois da Feira" de Fernando Pessoa, para levantar reflexões sobre as atividades realizadas e questionar os alunos sobre o que restou "depois da feira", levantando os conhecimentos adquiridos pelos alunos durante o processo.

Avaliação:

Análise dos temas criados pelos alunos

Identidade visual dos cartazes ou barracas, trabalho escrito

Apresentação, posicionamento das ideias nos debates e roda de conversa

Propor um texto dissertativo sobre a comparação entre o filme "Feira Livre" e a produção agrícola brasileira, questionando o percurso dos alimentos até o consumidor.


Comentários

Para saber mais:

Senzala, A Feira da Ceilândia - canção de Ellen Oléria

Feira de Caruaru - canção de Luiz Gonzaga
Depois de Feira - poema de Fernando Pessoa

Referências bibliográficas:
PESSOA, Fernando. Poesias - Lisboa, Editora Ática, 1942 (15ª Ed. 1995).


Pedagogo Autor do Plano de Aula
Filipe Macedo


Formação: Ator, contador de histórias e educador - Cursando a Pós Graduação Lato Sensu "A Arte de Contar Histórias - abordagens poéticas, perfomáticas e literárias" pela Facon, graduado em Tecnologia de Produção Audiovisual pelo Centro Universitário Anhanguera, com formação Técnica em Artes Dramáticas pelo Senac, especializado em Libras (Língua Brasileira de Sinais) pelo Instituto Peniel .
Atividades Profissionais: Consultor pedagógico do Instituto Paramitas, Educador de Comunicação na Cepac Barueri (Associação para proteção de crianças e adolescentes), Mestre e Contador de Histórias na escola Lumiar SP, Orientador Socioeducativo no Programa Jovens Urbanos da Fundação Itaú Social, Educador de Teatro na Associação Eremim - Osasco SP, diretor da Companhia de Investigação Teatral Minha, Nossa.
Nível: Ensino Superior