|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Reciclar, reaproveitar, reutilizar: Ações pelo planeta e pela vida


Plano de Aula do Filme Feira Livre | Documentário | De Isaac Chueke | 2003 | 18 min | RJ


As feiras livres são ótimos locais para conhecer melhor o povo brasileiro, seus hábitos, as conversas cotidianas, os tipos comuns e também os estranhos. São, normalmente, frequentadas por pessoas adultas, não sendo comum que crianças, adolescentes ou mesmo jovens por ali circulem. As novas gerações são adeptas dos supermercados, quitandas ou sacolões. Além de perceber o dia a dia e as pessoas, perde-se também a possibilidade de conhecer melhor os alimentos e de pensar todo o processo que dá luz as feiras em suas jornadas regulares pelos diversos bairros de uma cidade grande como o Rio de Janeiro. Da montagem a desmontagem, passando pela venda e chegando até a xepa e ao lixo gerado por uma feira livre, como tudo isso funciona? E, mais preocupante ainda, para onde vai a sucata e o lixo orgânico? Feira Livre é um documentário que nos ajuda a entender um pouco melhor essa realidade.




Objetivos
Colocar os alunos no olho do furacão, ou seja, a partir do filme, fazê-los perceber o funcionamento da feira, as pessoas que por ali circulam, as relações comerciais, a negociação, os motivos da queda de preço dos produtos no final do período (que ocasionam a conhecida xepa) e, em especial, para que possam pensar e se articular, propondo soluções, para a limpeza pública, a reutilização de materiais recicláveis, o encaminhamento das sobras de alimentos considerados não aproveitáveis pelos consumidores e feirantes...

Situação Didática
- Inicialmente proponha aos alunos que falem sobre feiras livres a partir de suas experiências pessoais, ou seja, se já foram, como descreveriam, se ainda não conhecem, como pensam ser. - Passe o filme e fique atento pois há diálogos entre os feirantes e consumidores que induzem a temáticas pesadas, como sexualidade. Ainda que sejam trabalhadas de forma descontraída, deve-se estar preparado para comentários, dúvidas ou mesmo gracejos por parte dos estudantes. - Quando mostrar o curta, pedir produções textuais em que se compare a visão anterior da feira que os alunos tinham com o que viram. - Seria interessante programar, se possível, uma visita a alguma feira livre próxima da escola, para que os alunos pudessem conversar com os feirantes sobre as vendas, o trato com os clientes, de onde vem os produtos, para que servem alguns alimentos e, principalmente, focados no destino da sucata e do lixo orgânico que dali surgem.

Comentários
Nossas crianças vivem, cada vez mais, dentro de bolhas que para elas criamos. Acabam ficando fechadas em suas casas ou apartamentos, vendo TV ou navegando pela internet, ações estas alternadas com escolas e outras atividades extra-curriculares (como o clube, a academia, cursos livres...). Circulam apenas por locais considerados mais seguros (como shoppings, cinemas, centros de diversão...) e, de preferência, na companhia de familiares ou grupos de amigos. Andar por áreas como feiras livres é cada vez mais raro. Com isso acabam perdendo um pouco do senso de realidade que é muito necessário para todos nós... Que tal criar possibilidades para que eles possam conhecer melhor o mundo a partir da família e da escola? Comece indo a feira livre!

Pedagogo Autor do Plano de Aula
João Luíz de Almeida Machado