|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 766 { professores: 1 | usuários com coleções públicas: 0 }

Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes

Vender, vender e vender...


Plano de Aula do Filme A Alma do Negócio | Ficção | De José Roberto Torero | 1996 | 8 min | SP


Já parou para prestar atenção na quantidade de anúncios com os quais temos contato todos os dias. Pela TV, rádio, internet, anúncios em jornais e revistas, outdoors... Há uma verdadeira overdose de propagandas ao nosso redor e, por incrível que pareça, tudo já nos é tão natural que nem ao menos nos damos conta ou mesmo nos sentimos ofendidos em relação a este massacre a que somos submetidos. E porque tudo isso? Para que realmente nos interessemos em comprar e, mais que isso, realizemos tal ação. Tudo está a venda: De automóveis a margarinas, de livros a computadores, de casas a eletrodomésticos... Como lidar com isso? E nossas crianças, de que forma devem ser instruídas quanto ao consumo?




Objetivos
Trabalhar o consumo consciente, adequado aos interesses de cada pessoa e não aquele que é induzido pela propaganda contínua a qual somos expostos constantemente. Orientar crianças e adolescentes a olhar criticamente o consumismo.

Situação Didática
- Fazer um levantamento junto ao grupo de alunos quanto aos seus hábitos de consumo (o que comem, vestem, calçam como se divertem se tem marcas de preferência...). - Questionar o grupo quanto ao que realmente é necessário dentre os produtos que regularmente consomem. - Pedir aos alunos que reproduzam no papel e depois a partir de dramatizações as propagandas que mais gostam ou desgostam. - Passar o filme A Alma do Negócio. - Trabalhar com o grupo a ideia apresentada no curta-metragem associando-a à pesquisa em diferentes mídias de propagandas que induzem o consumo. - Finalizar com os conceitos de Consumo Consciente e Consumismo.

Comentários
Nosso universo depende muito da conscientização das novas gerações quanto ao consumo. Estipulamos depois da Revolução Industrial que não existiriam limites para o que consumimos e o planeta Terra tem respondido, ao longo das últimas décadas que não é bem assim, ou seja, que estamos exaurindo suas possibilidades de repor recursos. A natureza está pedindo socorro e precisamos nos articular por ela e por toda a vida aqui existente, inclusive a nossa. Para preservar precisamos consumir de forma consciente, agindo nos conformes daquilo que é chamado de desenvolvimento sustentável... Não há outro caminho...