|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Tira da terra natal!


Plano de Aula do Filme A Terra a Gastar | Animação | De Cassia Mary Itamoto, Celina Kurihara | 2009 | 6 min | SP


"Não há natureza capaz de alimentar um shopping center do tamanho do mundo." (E. Galeano).

E não há mesmo! A cada dia uma parte da nossa terra nós é tirada pela ganância e a pressa de muitas pessoas que estão mais preocupadas com o seu capital. Pouco se tem extraído da terra com consciência, e os efeitos de uma grande devastação, que acontece há tanto tempo já começaram a aparecer. O filme "Terra a gastar" nos propõe uma reflexão sobre o consumismo desenfreado que atingiu a maior parte da população do nosso planeta, os recursos naturais que estão se esgotando, nos fazendo refletir se ainda dá tempo. É preciso para isso, conscientizar os jovens que estarão no poder um dia, para que algo seja feito e que se aperfeiçoe o que começou a dar resultados. O planeta pode parar, se não pararmos já.





Objetivos

Discutir sobre as formas de consumo

Desenvolver a comunicação a partir de um pensamento crítico sobre uma situação real

Estimular a criatividade e o poder de síntese dos alunos

Descobrir novas formas de contribuir para a conscientização em massa sobre a preservação do meio ambiente.


Situação Didática

< b> Etapa 1: (30 minutos)

A proposta a seguir baseia-se na conscientização de jovens que estão no Ensino Fundamental II sobre a estrutura (prós e contras) do consumo material. O professor poderá antes de começar com os materiais de apoio, questionar os alunos sobre qual é a opinião deles quando se deparam com o verbo "Consumir".

Após o levantamento das impressões dos alunos, a sugestão é distribuir cópias do texto "O império do consumo" de Eduardo Galeano e assim abrir para uma leitura conjunta com a turma, fazendo uma comparação sobre a visão deles em relação ao assunto depois de terem conhecido o texto. (É importante que o professor se baseie em um dicionário e pesquise as palavras diferentes que aparecem no texto, para que ele seja bem compreendido, essa é uma forma de aumentar o repertório de palavras dos alunos).

< b> Etapa 2: (30 minutos)

Em outro encontro, o professor dividirá a turma em duplas ou trios, para que eles criem uma tirinha com o objetivo de sintetizar o que aprenderam durante o debate, estudo do texto e exibição do filme. A tirinha deve conter um texto curto e ilustrações. Esse trabalho também poderá ser considerado como avaliação da atividade e o professor poderá solicitar que essa tirinha seja feita com o objetivo de divulgar o projeto realizado pela turma nas redes sociais, incentivando a conscientização de mais pessoas.

< b> Etapa 3: (60 minutos ou mais)

Em outro encontro, o professor dividirá a turma em duplas ou trios, para que eles criem uma tirinha com o objetivo de sintetizar o que aprenderam durante o debate, estudo do texto e exibição do filme. A tirinha deve conter um texto curto e ilustrações. Esse trabalho também poderá ser considerado como avaliação da atividade e o professor poderá solicitar que essa tirinha seja feita com o objetivo de divulgar o projeto realizado pela turma nas redes sociais, incentivando a conscientização de mais pessoas.

< b> Avaliação:

Análise das tirinhas criadas pelos alunos.

Apresentação, posicionamento das ideias nos debates e roda de conversa.

Pesquisa "Como fazíamos sem... internet, telefone, televisão, etc".


Comentários

< b> Para saber mais:

Livro "Como fazíamos sem" de Barbara Soalheiros. Texto Eduardo Galeano.

The Story of Stuff - A história das coisas

Dicas de como produzir sua tirinha

< b> Referências bibliográficas:  

SOALHEIRO, Bárbara. < b> Como fazíamos sem - São Paulo: Editora Panda Books2011.

QUINO. < b> Quinoterapia - São Paulo: Editora Martins Fontes, 2004.


Pedagogo Autor do Plano de Aula
Filipe Macedo


Formação: Ator, contador de histórias e educador - Cursando a Pós Graduação Lato Sensu "A Arte de Contar Histórias - abordagens poéticas, perfomáticas e literárias" pela Facon, graduado em Tecnologia de Produção Audiovisual pelo Centro Universitário Anhanguera, com formação Técnica em Artes Dramáticas pelo Senac, especializado em Libras (Língua Brasileira de Sinais) pelo Instituto Peniel .
Atividades Profissionais: Consultor pedagógico do Instituto Paramitas, Educador de Comunicação na Cepac Barueri (Associação para proteção de crianças e adolescentes), Mestre e Contador de Histórias na escola Lumiar SP, Orientador Socioeducativo no Programa Jovens Urbanos da Fundação Itaú Social, Educador de Teatro na Associação Eremim - Osasco SP, diretor da Companhia de Investigação Teatral Minha, Nossa.
Nível: Ensino Superior