|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 58 { professores: 0 | usuários com coleções públicas: 0 }

Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes

Parece que é o que não é.

Filme Utilizado Cartas da Mãe | Documentário | De Fernando Kinas, Marina Willer | 2003 | 28 min | PR



Data da Experiência:24/10/2008

Disciplina(s): Geografia , História , Sociologia

Nível de ensino da turma*: Ensino Médio

Faixa etária da turma*: de 14 a 18 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:34

Autor do relato:Dalia Rhoden Oppermann

Instituição:COL EST PROF JOSE PASCHOAL DA SILVA
| GO | SILVANIA
| Estadual
Objetivos do uso do filme
Refletir sobre a repressão ocorrida durante o período militar; analisar a posição das classes sociais diante da falta de liberdade de expressão, do direito de ir e vir, entre outros direitos desrespeitados no período em questão, analisar as diversas formas de manifestar a contrariedade quanto as imposições do regime militar, refletir sobre a oposição ao Regime Militar utilizando os meios de comunicação existentes e a cultura como as músicas e o teatro.

Sequência de atividades envolvendo o filme
Estávamos estudando a Ditadura Militar no Brasil de forma geral quando abordamos a repressão. Neste momento os alunos mostraram-se muito interessados e queriam saber o "porquê os cidadãos brasileiros aceitavam a tortura e os mecanismos de repressão". Então, resolvi trabalhar fragmentos do livro "História da vida privada no Brasil" de Lília Moritz Schwarcz sobre a situação da classe média grande beneficiária do Milagre Econômico, e a propaganda da época que enaltecia o governo e cooptava as classes populares. Exemplo: "ninguém segura este país". Neste momento perceberam que as pessoas não aceitavam a repressão. Perceberam que havia oposição, principalmente através da cultura. Vimos que Chico Buarque manifestava seu descontentamento com a falta de liberdade de expressão em suas letras com mensagens subliminares. Ouvimos algumas músicas. Mas a oposição, também era feita de outras formas. Lembrei-me do vídeo Curta na Escola "Cartas da mãe". Uma crônica sobre o Brasil dos últimos anos contado através das cartas que Henfil escreveu à sua mãe, Dona Maria. Pesquisamos a biografia de Henfil, analisamos seus cartoons (capitão Zeferino e Graúna), descobriram que Henfil era irmão de Herbert de Sousa o "Betinho" e, só então, assistimos ao vídeo e anotaram as principais informações. Em seguida fizemos um círculo e discutimos as mensagens subliminares embutidas nas cartas que Henfil havia escrito para a mãe.

Comente os resultados da experiência
Os alunos ficaram encantados com as construções e críticas realizadas por Henfil, pela forma criativa que enganava os censores da época, tamanha inteligência e artimanha utilizadas pelo cartunista. Foram maravilhosos os comentários feitos pelos alunos. Um dos comentários foi quanto a forma que Henfil manifestava sua contrariedade em relação ao periodo militar utilizando o cartoon de forma inteligente e criativa. Muitos alunos nem conheciam ou ouviram falar de Henfil. Os que ouviram não conheciam a sua história. Por fim, com esta atividade realizada os alunos puderam analisar a atuação das diversas classes sociais no contexto da ditadura militar. Para mim foi uma das experiências mais prazerosas e significativas que já realizei com meus alunos. A aprendizagem foi bastante visível e significativa o que produziu influências sobre a produção de textos dos alunos.