|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Um pouco de poesia

Filme Utilizado Velha História | Animação | De Cláudia Jouvin | 2004 | 6 min | RJ



Data da Experiência:05/10/2007

Disciplina(s): Língua Portuguesa

Nível de ensino da turma*: Ensino Fundamental II

Faixa etária da turma*: de 10 a 14 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:79

Autor do relato:luciana ap furlan

Instituição:ANGELINA LIA ROLFSEN PROFA
| SP | ARARAQUARA
| Estadual
Objetivos do uso do filme
1.Promover a reflexão sobre os seguintes temas de Língua Portuguesa: linguagens verbal e não-verbal, gênero textual (poesia).
2.Refletir sobre a importância de considerar, além das própria necessidades, as necessidades e desejos alheios.

Sequência de atividades envolvendo o filme
1.Retomada das principais características de um texto poético. 2.Leitura em voz alta pelo professor da leitura do poema "Velha história". 3.Reposta dos alunos às perguntas: "O que faz de "Velha história" um texto poético?", "O que você sentiu ao ouvir a história?" 4.Exibição do curta. 5.Resposta dos alunos à pergunta: "O que você sentiu ao assistir a história?". 6.Discussão das emoções provocadas pela audição e exibição da história. 7.Discussão do assunto tratado no poema tendo como norte as questões:a)Por que você acha que o peixinho morreu afogado? b)Se o peixinho pudesse falar e o homem o consultasse sobre a sua vontade de viver com ele ou voltar para a água, o que você acha que ele diria? c)Você acha importante considerar o que outras pessias sentem ou pensam? d)Apesar do homem gostar muito do bichinho, acabou tomando uma atitude que o prejudicou. Você já se sentiu alguma vez como o peixinho ou como o homem? Quando? Como foi? e)É importante considerar o que as outras pessoas pensam e sentem? Por quê? 8.Encerramento do trabalho: "Se você pudesse mudar o final da história (último parágrafo), como o faria?

Comente os resultados da experiência
Ao finalizar a experiência, pude constatar a dificuldade que as crianças têm de sair do nível concreto: a grande questão para elas foi, a princípio, como um peixe poderia ter morrido afogado? Depois, quando discutimos novamente que uma das características do texto poético é justamente a de criar imagens cheias de significado, algumas crianças passaram a entender o porquê daquela morte: "Ele tinha se acostumado com a terra".Sobre ouvir e assistir a história, as crinças gostaram das duas experiências, mas se disseram mais comovidas ao ver o homem chorando do que ao ler essa passagem. A imagem do peixinho sorrindo despertou, por sua vez, risos entre eles. Sobre a atitude do homem, de devolver o peixe à água, alguns perceberam o grande sacrifício que ele tinha feito, dizendo que ele fez o que achava melhor para o peixe e não para ele. A emoção despertada nas classes onde exibi o filme (três quintas séries) foi de tristeza.No entanto, no encerramento do trabalho, quando as crianças deveriam modificar o final da história, os resultados - em sua maioria - foram criativos e alegres. Eis alguns exemplos: "Então o homem foi para casa dormir, porque era noite, e pediu a Deus para que ele virasse um peixe e encontrasse seu amigo. E seu desejo foi realizado.", "Que o homem jogasse o peixe e o peixe voltasse com sua família inteira.", "O peixinho foi visitar sua família, deu beijos e abraços e subiu até a superfície e viveu feliz com o homem.", "Dito isso, ele foi jogar o peixe, mas o peixe escorregou de sua mão, caiu no chão, fez uma cara de "não" e o homem não pôs ele na água.", "O homem ficaria com ele e não seria sempre triste.".