|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Parcerias de sucesso

Filme Utilizado Clandestina Felicidade | Ficção | De Beto Normal, Marcelo Gomes | 1998 | 15 min | PE



Data da Experiência:02/08/2008

Disciplina(s): Artes , Literatura

Nível de ensino da turma*: Ensino Fundamental II

Faixa etária da turma*: de 10 a 14 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:70

Autor do relato:Arquieli Cristina Pires

Instituição:CMEF ANTENOR SOARES
| MT | TANGARA DA SERRA
| Municipal
Objetivos do uso do filme
Desenvolver as quatro habilidades: ouvir, falar, interpretar e compreender, bem como, empregá-las corretamente; cultivar a linguagem para um melhor relacionamento com os semelhantes, como expressão do mundo interior e exterior do educando;expandir o uso da linguagem compreendendo-a em todas as instâncias com eficácia, desenvolvendo o pessoal do aluno; usar os conhecimentos adquiridos através da prática para com isso conhecer, analisar criticamente os usos da língua;desenvolver estratégias de leitura: índices de previsibilidade, levantamento de hipóteses, relação de causa e conseqüência, de temporalidade e especialidade, transferência, generalização, tradução de símbolos.

Sequência de atividades envolvendo o filme
O "Curta na escola; vol. 2" vem ao encontro do projeto "Expressões Literárias", que venho desenvolvendo na escola desde 2005 na busca uma prática pedagógica capaz de possibilitar a percepção e a concepção do aluno como um ser social, psicológico e histórico, bem como despertá-lo para o prazer e o gosto de ler. Desenvolvemos o tema do nosso programa com o conto Felicidade Clandestina e, ao recebermos o "Curta na Escola" pudemos ampliar nosso olhar crítico sob a ênfase da metodologia sugerida, o que aguçou a curiosidade dos alunos e elevou o nível do certame proposto pelo "Expressões Literárias." Explicadas então, as técnicas de uma análise literária simples, cada aluno recebe a incumbência de identificar na leitura, visual e escrita, personagens, tempo, espaço, tipo de narrador, foco narrativo, clímax e enredo; e relatar, emitindo sua opinião pessoal, explicitando o que é ou não do seu agrado, no contexto da história. Em seguida, a busca da autora do "Felicidade Clandestina" através de pesquisa em livros, vídeos e internet, aguçando desta forma a curiosidade da classe também sobre outros autores. Os debates em sala de aula, sobre a época contextual do conto, a personalidade das personagens, valores morais, sentimentos de felicidade, persistência e objetivos definidos, foram de suma importância na construção do caráter e na elaboração dos textos, individuais e coletivos, que logramos produzir. Um cartaz contendo a bibliografia da autora, fotos da época e um texto de avaliação coletiva sobre a obra também foi produzido em sala de aula como ilustração do tema. O cartaz foi apresentado em sala de aula e em seguida exposto em local estratégico no corredor da escola, objetivando despertar o interesse dos demais alunos da instituição sobre os trabalhos que estamos desenvolvendo como estimulante do prazer e do gosto de ler e interpretar as diversas formas tecnológias.

Comente os resultados da experiência
Realmente não há como descrever tamanha, sensibilidade e curiosidade demonstrada pelos alunos quanto ao comportamento hostil da amiga em emprestar o livro. Vários foram os debates e encenações em sala, quanto ao comportamento da época em relação ao nosso dia-a-dia. Todas as cenas do vídeo foram totalmente observadas e comparadas com a atualidade, desde vestimentas, ambientes, comportamentos, família,... O "Curta na Escola" transformou-se,assim, em um parceiro de primeira hora, trazendo desenvoltura ao processo do nosso "Expressões Literárias" e aperfeiçoando a metodologia ali adotada e de outro lado, a "Felicidade Clandestina" acaba assumindo essa "expressão literária" sugerida pelo nosso projeto, saindo da clandestinidade e fazendo-se elo de uma ligação importantíssima entre leitura e leitores.