|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Folclore - primeiros contatos

Filme Utilizado Caçadores de Saci | Ficção | De Sofia Federico | 2005 | 13 min | BA



Data da Experiência:28/08/2007

Disciplina(s): Artes , Educação Física

Nível de ensino da turma*: Educação Infantil

Faixa etária da turma*: de 3 a 7 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:100

Autor do relato:Cláudia Bergo

Instituição:PEM GENTE INOCENTE
| MG | IPATINGA
| Municipal
Objetivos do uso do filme
Oportunizar às crianças o acesso à produção cinematográfica recente brasileira, em contraponto ao consumo massivo de produções estrangeiras.
Ilustrar a abordagem à temática folclore, em particular à figura do Saci, com uma produção que remete à reflexão da diversidade étnica.
Estimular a valorização da cultura brasileira, com seus ritos e mitos.

Sequência de atividades envolvendo o filme
O curta foi exibido na última semana do projeto Folclore, desenvolvido no mês de agosto de 2007. Nas primeiras semanas daquele mês, nas aulas de biblioteca, ocorreram leituras a respeito das lendas do folclore nacional. Nas aulas de artes, fizeram trabalhos alusivos ao tema e em educação física assistiram ao vídeo Pandalelê, uma produção do grupo Palavra Cantada e do laboratório de brincadeiras da UFMG, que contém diversas brincadeiras populares. Escolheram algumas dentre elas para brincar durante a aula. Na terceira semana, participaram de uma rua de lazer nos horários reservados a artes e educação física, com brincadeiras populares em cada um dos setores, representados por seres de lendas do nosso folclore: Iara, Saci, Boitatá e Boto. Na última semana, nas aulas de educação física, após assistirem o curta, atuaram numa brincadeira se fazendo passar por sacis, pulando numa só perna.

Comente os resultados da experiência
O curta foi muito bem aceito e apreciado pelas crianças. Não foi necessário interromper a exibição para nenhum esclarecimento. Todas as cenas se fizeram compreender pelas crianças. Em meio à exibição, pôde-se ouvir comentários associando objetos e atitudes apresentados no curta às experiências de vida delas. O ritmo do filme manteve todos atentos, do início ao fim. A interpretação do atores vez ou outra provocava deliciosas risadas. A caretinha do saci, nos momentos que antecederam sua captura, então, foi o máximo. A surpresa foi grande ao vislumbrarem sacis de etnias diversas. Anteciparam, pela expressão da menina, que ela os soltaria. Perceberam, no final do filme, que as crianças que procuravam pela família que abandonou o sítio nada mais eram que os sacis. Nesta faixa etária, as crianças ainda não estão produzindo conceitos e abstrações acerca da realidade e sim a experimentando através de seu aparato perceptivo. Partindo desse ponto de vista, o debate travado a partir de então foi circunscrito às perguntas das crianças, das mais variadas, porém bem concretas. Penso que o resultado alcançado com o curta foi acrescentar ao repertório de experiências das crianças uma boa impressão da diversidade. No planejamento da disciplina educação física, este período foi dedicado ao estudo dos membros inferiores (esquema corporal), do padrão de movimento pular num pé só (unilateral) e da aptidão motora equilíbrio dinâmico. Desse modo, o projeto permitiu uma abordagem à temática de forma lúdica e bastante prazerosa, tanto para as crianças quanto para nós professores.