|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Onde vai parar o lixo da sua casa?

Filme Utilizado Ilha das Flores | Documentário, Experimental | De Jorge Furtado | 1989 | 13 min | RS



Data da Experiência:03/09/2007

Temas transversais: Educação Ambiental , Ética , Meio ambiente , Saúde

Nível de ensino da turma*: Ensino Fundamental I

Faixa etária da turma*: de 3 a 7 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:16

Autor do relato:silvia cristina reis lima

Instituição:COLEGIO SANTA CATARINA
| PE | RECIFE
| Particular
Objetivos do uso do filme
Refletir sobre as questões ambientais e a grave crise planetária que vivemos, com o foco no aquecimento global e nas 8 metas para o milênio.

Sequência de atividades envolvendo o filme
Trabalhamos com o tema da Campanha da Fraternidade, onde durante todo o ano refletimos sobre as questões ambientais e a grave crise planetária que vivemos, com o foco no aquecimento global e nas 8 metas para o milênio. Com o objtivo de estudar sobre o lixo e a reciclagem, propusemos as crianças uma pergunta simples, mas que eles ainda não haviam pensado: para onde vai o lixo que sai da minha casa? Outra questão que também refletimos foi sobre o desperdício de alimentos e lanches em nosso cotidiano . Apesar de serem tão pequenos, era preciso que eles vissem outra realidade social e pudessemos momentaneamente quebrar a redoma de vidro em que vivem, pois este é o nosso papel na construção desses futuros cidadãos que devem ser formados para uma consciência crítica.

Comente os resultados da experiência
Ainda hoje, minhas crianças falam no tomate podre que foi parar num lugar com um nome tão bonito chamado Ilha das Flores, mas que conta uma história muito feia. Os textos ficaram guardados em nosso cantinho de leitura. De vez enquando vejo meus alunos lendo uns para os outros suas produções, mas o mais curioso é vê-los contar fazendo cara de espanto e surpresa, porque descobriram uma realidade que ninguém tinha tido coragem de contar e com sua inocência resguardada acho mesmo que eles custam a acreditar. Em outro momento também pude presenciar alguns alunos dramatizando com os fantoches o documentário. Logo após o trabalho uma criança quis contar para as outras turma que existiam crianças que comiam as sobras dos porcos, os alunoas das outras turmas riram, mas a criança disse: é verdade, eu vi no filme não foi, Tia Silvia?