|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

A intertextualidade na sala de aula

Filme Utilizado Ilha das Flores | Documentário, Experimental | De Jorge Furtado | 1989 | 13 min | RS



Data da Experiência:09/11/2007

Nível de ensino da turma*: Ensino Fundamental II

Faixa etária da turma*: de 14 a 18 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:58

Autor do relato:Katia Turollo do Nascimento

Instituição:HERACLIDES BATALHA DE CAMARGO DESEMB
| SP | MOGI DAS CRUZES
| Estadual
Objetivos do uso do filme
Trabalhar os conceitos de gênero textual,figuras de linguagem, argumentação e intertextualidade.

Sequência de atividades envolvendo o filme
No primeiro momento apresentamos os conceitos de gêneros textuais, figuras de linguagem, argumentação e intertextualidade. Depois passamos o filme aos alunos e pedimos que pontuassem em que momentos do filme identificaram alguns dos conceitos teóricos que elencamos anteriormente. Após a discussão que foi promovida em sala pudemos identificar algumas realidades presentes na comunidade dos alunos, levantadas por eles mesmos. Nesta etapa os alunos propuseram que pudéssemos fazer uma pesquisa no bairro para ver se a realidade condizia com a do filme.Desta maneira foram fotografadas algumas imagens do próprio bairro. Coletadas as imagens, foi trabalhado em sala de aula alguns poemas( Manuel Bandeira, Mario Quintana),trechos bíblicos (Lamentações), fragmentos de textos e pensamentos de teóricos e pedido aos alunos que analisassem os textos e traçassem a intertextualidade com o filme.Cumpridas todas essas etapas os alunos foram direcionados para a sala de informática para elaborar um apresentação aos demais com os materiais coletados e analisados, ou seja, fazer uma releitura tendo como foco a própria realidade.

Comente os resultados da experiência
É relevante relatar, primeiramente, que os alunos ficaram atônitos diante do filme. Conseguiram fazer conexões com sua realidade e o mais interessante é que se sensibilizaram e, nas discussões promovidas em sala, deram alternativas para tentar mudar a realidade. Percebemos, assim, a conscientização de nossos alunos. Na questão teórica notamos que conceitos relativamente difíceis de serem apreendidos foram facilmente entendidos, como as figuras de linguagem de ironia e metáfora, a intertextualidade e diferentes formas de argumentação. Concluindo, entendemos que esse trabalho trouxe aos nossos alunos uma aprendizagem mais significativa e os fez cidadãos mais conscientes e atuantes na sociedade.