|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

O que é mentira?

Filme Utilizado Mentira | Ficção | De Flávia Moraes | 1989 | 9 min | SP



Data da Experiência:01/09/2012

Disciplina(s): Filosofia , História

Nível de ensino da turma*: Superior

Faixa etária da turma*: acima de 18 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:15

Autor do relato:Marcelo Fernandes de Paula
Objetivos do uso do filme
Diferentes cosmovisões implicam em diferentes concepções de "verdade". Um exemplo é a concepção da cultura da Antiguidade clássica, herança grega, para os quais verdade significava um enunciado que corresponde a um fato ocorrido, ou ao seu relato. Por exemplo, "O Brasil ganhou a Copa de 2002". Outra concepção de verdade é da cultura judaica, que por sua vez pensa verdade como alguém que permanece fiel ao que diz. Por exemplo, quando dizemos "Fulano é um sujeito falso". Nossa cultura é herdeira dessas duas concepções de verdade, utilizando o mesmo termo para dois sentidos distintos. No curta é possível perceber a presença dessas duas concepções. O objetivo era que os alunos identificassem e argumentassem em que situações essas diferentes concepções de verdade estão presentes.

Sequência de atividades envolvendo o filme
* Solicitei que os alunos lessem duas páginas de textos que tratam sobre o assunto (10 minutos); * Apresentei o curta e o exibi duas vezes (25 minutos); * Separei os alunos em dois grupos. Um ficou responsável por analisar o filme pelo ponto de vista da cultura grega, e outro a partir da perspectiva judaica (15 minutos); * Cada grupo expôs suas considerações (5 minutos cada); e * Debatemos as situações do curta, a partir de cada perspectiva apresentada (35 minutos).

Comente os resultados da experiência
A experiência foi muito produtiva. Na parte das exposições de cada grupo, procurei não interferir. No debate, comecei a fazer questionamentos aos grupos, exigindo deles uma maior argumentação do porque eles tinham considerado a existência de uma "verdade" ou "mentira", a partir da concepção da cultura que eles estavam analisando. Os próprios alunos começaram a levantar outras possibilidades e rever seus posicionamentos prévios, em alguns casos. Por fim, fizemos um levantamento das situações do filme em que consideramos a existência de uma "verdade" ou "mentira", e refizemos a análise juntos. Pensávamos inicialmente em realizar um debate de 15 minutos, mas a participação e interesse dos alunos superou as expectativas, ampliando o tempo do mesmo. Uma dificuldade encontrada foi o fato de iniciarmos a aula com apenas 4 alunos, pois os demais estavam em outra aula, que se estendeu além do horário. Por isso tivemos que passar o curta-metragem duas vezes. Isso só foi possível devido ao tempo que dispúnhamos que era de duas horas, e o fato do filme ter apenas 8 minutos.