|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Dos menestréis ao poeta popular: O que nos diz a poesia?

Filme Utilizado Patativa | Animação, Documentário | De Ítalo Maia | 2001 | 10 min | CE



Data da Experiência:04/09/2012

Disciplina(s): Língua Portuguesa , Literatura

Nível de ensino da turma*: Ensino Médio

Faixa etária da turma*: de 14 a 18 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:12

Autor do relato:Ananília Meire Es da Silvtevão

Instituição:EE VIRGILIO FURTADO 1 E 2 GRAUS
| RN | LAJES PINTADAS
| Estadual
Objetivos do uso do filme
Levando em consideração que a poesia é atemporal, apresentamos aos alunos a poesia produzida durante o Trovadorismo e recitada pelos menestréis e a poesia popular de nossos repentistas e poetas populares, haja vista que a poesia produzida por ambos contam com a utilização de instrumentos musicais (lira ou viola), podendo, também, ser recitada, no que condiz à poesia produzida por nossos poetas populares.

Sequência de atividades envolvendo o filme
Partindo de diálogos realizados com os alunos em sala de aula, iniciamos, observando e analisando, o que caracterizou o Trovadorismo em Portugal e como a produção poética daquele período se apresenta. Ao explicitar que era uma espécie de poesia feita, exclusivamente, para ser cantada e acompanhada por instrumentos, os alunos ressaltaram que se assemelhavam às cantorias, os repentes de viola, à literatura de cordel. Realizamos, então, a analogia dos nossos repentistas e poetas populares com os menestréis. Exploramos um pouco mais a literatura popular e suas variações e características: o cordel, as cantorias, os repentes, os desafios, mostrando que algumas formas pediam o acompanhamento de instrumentos, mas que a outras ele poderia ser acrescentado ou não. A poesia de Patativa do Assaré nos permite sentir na pele o sol escaldante do sertão, o cheiro da poeira, as agruras, a simplicidade e toda beleza do nosso povo e do nosso chão, viisualizando a "chuva de rimas caindo em cima da terra" que o poeta nos relata. A partir daí, trabalhamos o vídeo do Curta na Escola e alguns versos do poeta pra exemplificar as variações apresentadas por esta Literatura, levando em consideração que algumas de suas poesias foram musicadas, como por exemplo "Vaca estrela e boi fubá", musicada por Fagner, "Triste Partida", conhecida na voz de tantos, dentre eles Luis Gonzaga, e tantas outras musicadas por José Fábio, músico cearense, e disponibilizadas no CD José Fábio canta Patativa do Assaré.

Comente os resultados da experiência
Com a prática adotada, destaco como ponto positivo o fato dos objetivos traçados terem sido alcançados e destaco, em especial, este ter sido o momento em que alguns de nossos alunos tiveram contato com a poesia produzida por poetas populares, como o próprio Patativa do Assaré, Zé Limeira, Zé da Luz, João Martins de Ataíde, Leandro Gomes de Barros e outros. Também foram trabalhadas, ainda nas aulas de língua portuguesa, por meio do vídeo citado, temas como as variações linguísticas, que ocorrem entre pessoas, regiões e situações (oral/ escrita, popular/ culta, formal/ informal), o preconceito linguístico e o conceito de cultura.