|
Educadores
Cadastre-se para registrar os seus relatos de experiência com o uso de curtas-metragens em salas de aula e concorrer a prêmios para você e sua escola.
Filmes
Filtrar por

Minha Vila, Minha Vida.

Filme Utilizado Ilha das Flores | Documentário, Experimental | De Jorge Furtado | 1989 | 13 min | RS



Data da Experiência:20/08/2010

Disciplina(s): Geografia , História

Nível de ensino da turma*: Ensino Fundamental II

Faixa etária da turma*: de 10 a 14 anos

Nº de alunos que assitiram esta sessão:25

Autor do relato:Cesar Luis Theis

Instituição:EEB DR THEODURETO DE FARIA SOUTO
| SC | DIONISIO CERQUEIRA
| Estadual
Objetivos do uso do filme
O filme "A Velha a Fiar" foi associado ao filme "Ilha das Flores" para a atividade educacional. Inicialmente foi exibido "A Velha a Fiar" para que os educandos visualizassem alguns aspectos da vida que seus país, como se realizavam os trabalhos, os objetos e utensílios, e principalmente modo de vida, as construções das casas. Teve como objetivo principal permitir que o educando pudesse transportar-se há um tempo histórico diferente e poder compreender melhor as mudanças tecnológicas. Fornecendo uma visão histórica de como a modernização tecnológica modificou a realidade da vida em família. Posteriormente foi utilizado o filme "Ilha das Flores" para iniciar o trabalho com a questão do lixo no espaço onde os educandos residem para chamar a atenção sobre a questão do consumismo e do trabalho.

Sequência de atividades envolvendo o filme
Após o curta os educandos foram orientados a seguinte atividade: Primeira etapa foi emprestar a câmera digital a cada educando da 7° série por um dia, para que fotografa-se seu espaço de vivência, sua casa, horta, galpão e tudo ao redor da sua residência, as fotos foram salvas no computador em pastas com o nome do educando. Assim se gravou um CD e cada educando apresentou suas fotos aos colegas de turma. Os educandos foram instruídos que o que buscávamos era registrar as mudanças no espaço físico pela ação da mão do homem. Segunda etapa: Realizei como educador um olhar histórico sobre as fotos e as mudanças a partir de analogias do filme e das imagens, explorando as realidades de cada educando. Terceiro etapa: Então revelei que realizaríamos uma nova atividade educativa, revelando aos educandos que queria analisar as fotos novamente, mas agora explorando o aspecto ambiental, mas especificamente a questão da presença do lixo no seu espaço. A quantidade de lixo que pudemos constatar juntos nas imagens surpreendeu. Quarta Etapa: Foi trabalhada a questão do lixo na sociedade contemporânea como fruto do nosso modelo de vida consumista. Então foi exibido o curta "Ilha das Flores" que muito agradou os educandos, após as considerações o objetivo era a produção de folders, que foram distribuídos na escola para conscientização. Quinta Etapa: Os educandos foram desafiados a produzir 5 novos vídeos sobre a questão do lixo, utilizando as suas imagens, abordando o tema do lixo na vila, na comunidade e no município. As produções dos vídeos com o Windows Movie Maker, continham comentários, análises, fundo musical, textos e as imagens que utilizassem um olhar histórico analítico e critico sobre a realidade. Última Etapa: Demos início às ações de reciclagem de garrafas pet, recolhimento de pilhas e baterias com apoio dos educandos, posteriormente também realizamos a produção de obras de arte com material recolhido e de um novo vídeo com suas imagens.

Comente os resultados da experiência
A atividade inicial de análise das imagens sobre o espaço de residência de cada educando permitiu-me como educador conhecer a melhor a realidade socioeconômica de cada um e suas particularidades. A socialização com a turma permitiu um momento de interação entre os educandos da 7° série, pois estes possuíam diversas histórias e lembranças sobre os lugares fotografados. A comparação entre as imagens do vídeo e da realidade foi muito interessante, pois percebi que os mesmo usavam o filme como referência para explicar as mudanças e diferenças das imagens para o curta "A Velha de Fiar". O curta "Ilha das Flores" causou grande identificação pela sua abordagem dinâmica e envolvente, produzindo uma ótima base educacional para realização de diálogos sobre a questão do lixo, do consumismo, do dinheiro e do próprio Ser Humano. A produção dos folders redeu ideias muito interessantas e com uso de música na sala de aula tivemos um momento mais recreativo de construção e liberdade criativa. A produção dos vídeos foi um desafio, pois incluir a questão digital na atividade foi um momento delicado, mas após algumas dificuldades foi muito proveitoso, pois cada grupo atuou como produtor do material áudio visual sobre a sua própria realidade de vida. Na nova atividade de análise das fotos sobre a questão do lixo, esta trouxe um verdadeiro alvoroço entre os educandos, pois não esperavam por uma mudança tão drástica nos objetivos, assim coube muito bem manter o segredo sobre o objetivo final da atividade educativa planejada. A análise evidenciou a presença de lixo nas residências demonstrando ser um problema comum. As ações seguintes contaram com grande participação, a pedido dos alunos realizamos uma produção coletiva com as fotos tiradas durante as ações de reciclagem, onde escolhemos o roteiro, as imagens e a trilha sonora. O desfecho da ação sócio-educativa foi uma exibição com todas as turmas, onde utilizamos o data show e caixas acústicas em uma sala escura, tipo cinema.